abr 11, 2016 / by Ser e Pertencer / In Blog / Leave a comment

Amizades salvíficas

Em tempos de correria, ambição desmedida, individualismo exacerbado e hedonismo materialista a amizade se tornou artigo extremamente raro.

Aristóteles afirmava que se existisse amizade, isto é, se houvesse um desejo imenso pelo bem do outro, não seria necessária a existência da palavra justiça. Sua ideia estava centrada no fato de que a justiça se faz necessária apenas quando não se deseja o bem do outro. Sendo assim, todas as formas de injustiça foram lançadas no âmbito das nossas relações porque o outro não é mais o foco do bem e sim dos interesses próprios e mesquinhos. Portanto, a justiça nasce como um grito de desespero frente a morte do desejo do bem para o outro.

Os tempos atuais são deslumbrantes por conta do avanço tecnológico e das diversas descobertas científicas que nos ajudam a prolongar a vida e a tentar mantê-la mais saudável. Contudo, essa mesma época produziu a falta de tempo numa diversidade de tempo e a ambição desmedida e sem limites. Não muito tempo atrás, existiam ambições medidas. A ambição era planejada e tinha o seu fim. Atualmente, o desejo de ter não encontra mais fim, ele é infinito, o que provoca o individualismo, ou seja, a vida centrada apenas em uma pessoa, e o hedonismo, isto é, um culto ao prazer desnecessário frente aos objetos rotulados por status e poder.

Nesse cenário, por um lado idealista de Aristóteles, e por outro realista dos tempo atuais, sobra a grande riqueza de todos os tempos: a boa e velha amizade do olho no olho, da sensação fantástica de sentir o outro e, quase como se ela pudesse ser materializada, sentir a própria alma do outro. É dessa forma que eu quero descrever o valor da amizade para aqueles que a recebem, cultivam e experimentam como dádiva de vida e desses seres que não tem medo da exposição e da felicidade do acolhimento da alma na casa do outro.

Quero destacar o valor da amizade como fonte de salvação para os tempos turbulentos, confusos e alegres. As amizades são salvíficas quando não há medo de ser, pois o amor é maior. Quando o olhar diz mais do que as palavras, quando estamos inteiros naquele momento que o outro expõe sua alma. A amizade nos salva, pois diante da exposição e do acolhimento, a redenção aparece como resultado de entrega, recebimento e significado para todos os envolvidos. É hora de cultivar as amizades da alma, pois são elas que nos podem salvar.

Boa Semana!

Your comment